sábado, 15 junho
Publicidade
Publicidade
InícioNotíciasBrasil e MundoOMS destaca avanços em teste com dexametasona em casos graves

OMS destaca avanços em teste com dexametasona em casos graves

Medicamento foi anunciado pela Universidade de Oxford como 1º tratamento capaz de reduzir a mortalidade em pacientes com covid-19

A Organização Mundial da Saúde (OMS) elogiou nesta terça-feira (16) os progressos conseguidos no Reino Unido com o uso de dexametasona – um medicamento barato e disponível em todo o mundo – para o tratamento de pacientes em estado grave com Covid-19.

“Este é o primeiro tratamento que mostrou ser capaz de reduzir a mortalidade em pacientes com Covid-19 que precisavam de oxigênio ou ventilação”, disse o diretor geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, além de destacar o papel dos hospitais britânicos “que contribuíram com esta descoberta científica para salvar vidas”.

A OMS repercutiu estudos publicados hoje pela Universidade de Oxford que apontam que a dexametasona, um esteroide, reduziu a mortalidade em pacientes em respiradores em até um terço, e naqueles que precisavam de oxigênio, em um quinto.

A entidade ressaltou que esses bons resultados só foram observados em pacientes graves.

A dexametasona tem sido usada desde os anos 60 para reduzir a inflamação em várias doenças, incluindo pacientes com câncer, e está na lista de medicamentos essenciais da OMS desde 1977, por isso está fora de patente e prontamente disponível em todo o mundo.

Além disso, a OMS disse que vai coordenar a análise dos resultados para melhorar as informações sobre o tratamento e atualizar suas diretrizes clínicas para o atendimento de pacientes com Covid-19, doença que atingiu cerca de 8 milhões de pessoas em todo o mundo.

Segundo estimativas de pesquisadores britânicos, se este medicamento estivesse disponível desde o início da pandemia, até 5 mil vidas poderiam ter sido salvas no Reino Unido (onde mais de 40 mil morreram durante a pandemia).

 

FONTE: R7

VEJA TAMBÉM
Enquete

Qual melhor nome para Patrocínio?

Publicidade
Não foi possível carregar esta votação.

Últimas Notícias

Publicidade
Publicidade
Publicidade
×